Por que é importante usar produtos dermatologicamente testados?

7 minutos para ler

Você já utilizou um produto que causou vermelhidão, coceira ou outras reações indesejadas? De fato, algumas peles são mais reativas do que outras. Por isso, na hora de escolher seus cosméticos, é muito importante adquirir produtos dermatologicamente testados e hipoalergênicos. Mas, afinal, o que isso significa?

Neste post, vamos explicar o que são esses testes, qual é a sua importância, como eles são realizados e quais outras precauções você pode tomar para evitar uma reação alérgica. Interessada? Então, continue a leitura e fique por dentro de como funciona o mundo dos cosméticos!

O que são produtos dermatologicamente testados?

Basicamente, a diferença de um produto dermatologicamente testado para outro qualquer é que, no primeiro caso, ele tem o aval de um dermatologista, o profissional qualificado para assuntos de pele. Esse aval se dá por meio de testes realizados em humanos, sob o controle do profissional que poderá avaliar potenciais reações cutâneas.

Além disso, é comum que os produtos testados dermatologicamente sejam também hipoalergênicos — o que significa que são desenvolvidos com fórmulas mais seguras e sem a presença de ativos que causam reações alérgicas com maior frequência.

Qual é a importância desses testes e por que optar por produtos que passem por eles?

Algumas pessoas são bastante alérgicas, apresentando sensibilidade a diversos componentes comumente presentes nas fórmulas de cosméticos e produtos de limpeza. Os graus dessa sensibilidade podem variar desde reações simples até vermelhidão, coceira, alergias severas e quadros sérios de dermatite.

Como passaram por diversos testes e contam com uma formulação livre de substâncias potencialmente irritativas, os produtos dermatologicamente testados trazem menos riscos de reações. São, portanto, uma opção mais segura aos consumidores, principalmente em casos em que o indivíduo já apresenta uma pele mais reativa.

Como os testes são feitos?

Os testes seguem o padrão de regulamentação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e são realizados em laboratórios especializados, terceirizados e autorizados pelo órgão. Para que isso possa acontecer, é fundamental que os produtos sejam previamente elaborados dentro de padrões rigorosos de segurança.

Todos os voluntários passam por uma triagem e avaliação médica antes de iniciar os testes, e utilizam o produto conforme as instruções do fabricante, com acompanhamento do profissional, até que o período predeterminado finalize. Então, a empresa aplicadora do teste produz um dossiê e emite o seu parecer, concluindo com a aprovação ou reprovação do produto testado.

E quanto aos testes em animais?

É importante ressaltar que, para que um produto possa se afirmar “dermatologicamente testado” em seu rótulo, ele deve passar por testes específicos que acontecem em humanos. Contudo, existem outros testes de segurança que são necessários para que um produto chegue ao mercado, e alguns deles podem envolver animais.

Em resposta às reações negativas da população, muitos países vêm abolindo tais procedimentos, mas o mercado de cosméticos ainda conta com uma parcela de fabricantes que recorrem a essa prática.

Existem cada vez mais métodos de ensaio em laboratórios, por exemplo, capazes de substituir testem em animais com excelência. Hoje, fabricantes podem testar suas substâncias, primeiramente, em simulações computacionais, por meio de ferramentas sofisticadas que simulam a biologia humana.

Depois desses testes computacionais, os cosméticos entram na fase de ensaio biológico, em que o seu comportamento pode ser avaliado em estruturas de tecido 3D, produzidas a partir de células humanas. Com as informações geradas nesses testes, é possível determinar a quantidade de ingredientes segura para uso, considerando o público consumidor.

Quem deseja comprar produtos livres de crueldade animal pode checar a relação de empresas cruelty free em sites de organizações não governamentais, como o PEA (Projeto Esperança Animal).

Quais produtos podem ser testados?

Como dissemos, optar por produtos dermatologicamente testados é importante para evitar danos e irritações na pele. O ideal, então, é que essa informação esteja sinalizada de forma clara na embalagem e no rótulo do item.

Cosméticos como maquiagens, shampoos, sabonetes, desodorantes, perfumes, hidratantes, primers e protetores solares são exemplos de produtos que podem conter essa sinalização. Vale citar ainda os produtos de limpeza, que também são bastante agressivos e podem causar irritações e reações na pele, caso não sejam testados previamente.

Por fim, é fundamental que todos os cosméticos utilizados em crianças tenham essa certificação. Afinal, por terem a pele mais sensível, os pequenos estão mais suscetíveis a reações alérgicas graves quando entram em contato com produtos químicos.

Como evitar uma reação alérgica?

Mesmo que um produto seja hipoalergênico e dermatologicamente testado, não é possível assegurar com 100% de certeza que ele não provocará nenhum tipo de alergia. Isso porque, independentemente de as suas formulações serem mais seguras, cada indivíduo é único e pode apresentar reações específicas a determinadas substâncias.

Quem sofre com predisposição alérgica, portanto, pode realizar alguns testes domésticos para garantir maior segurança no uso de cosméticos. Um deles é o teste aberto, em que o usuário fricciona o cosmético na região interna do cotovelo, durante cinco dias, duas vezes ao dia. Se, nesse período, a pele não ficar avermelhada, coçando ou com algum sinal de irritação, o produto é seguro para o seu uso.

Quando suspender o uso?

A reação mais comum no uso de cosméticos é a dermatite de contato, inflamação causada pelo contato direto com substâncias alérgenas. Entre os seus principais sintomas estão:

  • erupção cutânea;
  • coceira;
  • vermelhidão;
  • descamação;
  • ressecamentos.

Alguns produtos podem, também, causar irritações nos olhos, inchaço nas pálpebras, queimação no couro cabeludo e até, em casos mais raros, crises de asma e bronquite.

Em qualquer um desses casos, é importante lavar a área atingida com água fria e suspender o uso do cosmético logo que notar qualquer problema. Também é indicado guardar a embalagem do produto e levá-la ao seu dermatologista. Assim, ele poderá identificar o agente alérgeno e impedir que você volte a ter reações utilizando produtos similares no futuro.

Ainda outra dica fundamental é utilizar apenas produtos que contam com registro na Anvisa. Isso indica que a sua composição foi analisada e que foram apresentados todos os testes de segurança de uso antes de o item chegar às lojas.

Enfim, podemos dizer que utilizar produtos dermatologicamente testados é a escolha mais segura para evitar reações indesejadas na pele. Isso porque eles passam por testes dermatológicos acompanhados por um profissional qualificado. Agora que sabe disso, na hora de comprar o seu cosmético para a pele leia a atentamente a embalagem e sempre procure marcas confiáveis!

Gostou da leitura? Então, aproveite a visita e siga os nossos perfis no Instagram, no Facebook e no Twitter para conferir mais posts como este!

Posts relacionados

4 comentários em “Por que é importante usar produtos dermatologicamente testados?

  1. “Esse aval se dá por meio de testes realizados em humanos, sob o controle do profissional que poderá avaliar potenciais reações cutâneas.” Gostaria de saber de que época vocês tiraram isso, pq há muito q isso não acontece. Inclusive, os testes são feito em ANIMAIS.

    1. Olá, Felipe. Tudo bem? Todos os produtos Supérbia são testados dermatologicamente e, para isso, nunca realizados testes em animais e sim em grupos de pessoas. Qualquer dúvida, pode encontrar em contato conosco pelo e-mail [email protected]

Deixe um comentário