Entenda o que são e como evitar o surgimento de queloides

Entenda o que são e como evitar o surgimento de queloides

8 de fevereiro de 2019 0 Por admin

Cicatrizes são alterações que não representam riscos às pessoas, mas podem causar muito desconforto (principalmente estético). Por isso, você já deve ter se perguntado como evitar queloide, certo? Após cirurgias, é importante adotar alguns cuidados para que a região afetada não apresente o problema, por exemplo.

Afinal, o quadro surge depois do processo de cicatrização, que é complexo e útil à formação de um novo tecido para o reparo de descontinuidades na pele. Acredita-se que não existam queloides espontâneos: lesões sem razões aparentes são causadas por ferimentos pequenos, não percebidos pelo paciente, como acne ou picadas de inseto.

No conteúdo a seguir, você vai entender o que é e como evitar queloide. Boa leitura!

O que é e quais são as causas do queloide?

O queloide representa um crescimento anormal, mas benigno, de tecido cicatricial — no caso, o colágeno. Essa proteína se desenvolve ao redor da pele lesionada e ajuda a ferida a selar.

Trata-se de lesões fibroelásticas salientes, avermelhadas, rosadas ou escuras. Qualquer tipo de ferida aberta corre o risco de virar um queloide, especialmente em pessoas mais propensas a isso.

Tal tipo de cicatriz pode surgir após acnes, cirurgias, cortes e colocação de piercings na orelha ou no nariz. Ela tende a ser maior do que a própria lesão original e pode levar semanas ou meses para se desenvolver completamente.

O problema ocorre em ambos os sexos, mas tem maior incidência nas mulheres. Outros fatores interferem na formação dos queloides, como o tipo de trauma que o tecido sofreu, a idade do paciente e a fase hormonal em que a pessoa se encontra. Durante a puberdade ou na gravidez, por exemplo, as cicatrizes são piores do que em outros momentos da vida.

Queloides são raros na infância e na velhice. O quadro é mais comum entre a puberdade e os 30 anos, ao passo que as regiões do corpo mais susceptíveis ao seu aparecimento são: os ombros, a área do tórax, as orelhas e o rosto.

Como evitar esse problema?

Os queloides podem surgir por diversos motivos, mas ainda não existe uma cura para o problema. Por outro lado, há muitas formas de evitar a formação das cicatrizes, que variam de acordo com o paciente e o tamanho da lesão. Abaixo, confira o que você pode fazer para evitar o aparecimento dos queloides.

Usar tiras (ou fitas) e placas de silicone

Os produtos feitos com silicone são usados há mais de duas décadas no tratamento de cicatrizes em todo o mundo. Esse material é altamente eficaz para evitar queloides e tem melhorado a vida de muitos pacientes.

Além de manter a área hidratada, a compressão ajuda a reduzir a vascularização e inibir o crescimento da cicatriz. As tiras/fitas e placas de silicone são indicadas para as seguintes situações:

  • pacientes que passaram por qualquer procedimento cirúrgico e não querem ter incômodos com a aparência da cicatriz;
  • pessoas com cicatrizes antigas que ainda apresentam um aumento de espessura;
  • indivíduos com cicatrizes recentes que queiram tomar todos os cuidados para que elas não se transformem em queloides;
  • pessoas que desejam tratar qualquer área do corpo que apresente uma cicatriz — causada por traumas, feridas ou queimaduras — totalmente curada, mas que tenha resultado em uma marca indesejada quanto ao aspecto (seja coloração ou espessura);
  • quando há alguma predisposição ao desenvolvimento de queloide, seja devido a reações ocorridas em outras cicatrizes ou ao histórico familiar, e a pessoa deseja evitar que a nova ferida chegue a essa situação.

É importante usar os adesivos depois que a lesão tenha cicatrizado completamente e a pele não apresente sinais de inflamação ou irritação. A tira (ou a placa) deve ser cortada do tamanho necessário para cobrir a região.

Aplique-a na pele limpa e seca, sem passar nenhum creme na cicatriz, pois o produto pode prejudicar a aderência e reduzir sua eficácia. Retire o adesivo apenas para tomar banho e coloque-o logo em seguida, novamente com a pele seca.

Dependendo da situação, é recomendável não retirar o adesivo até que o material perca a capacidade de aderência e não grude mais na pele. Mas essa recomendação deve ser feita por um especialista.

O tempo de tratamento varia de acordo com a necessidade do paciente. Vale destacar, porém, que não existe restrição para o uso prolongado das fitas e tiras de silicone.

Passar cremes com corticoide ou pomadas de silicone

Pessoas com tendência ao desenvolvimento de queloides podem usar cremes com corticoide, pois eles reduzem o estímulo e a produção de colágeno na região do corte. Nos dias de hoje, esse tipo de produto já é bastante adotado no tratamento e na prevenção do quadro.

Mas é importante que o uso da pomada seja indicado por um médico ou cirurgião e ocorra sempre de forma supervisionada. A aplicação incorreta — especialmente fora da cicatriz — pode causar lesões na pele.

Outras opções disponíveis no mercado são as pomadas de silicone. Elas são prescritas para as áreas do corpo que não têm contato com as roupas, como pescoço, mãos e rosto, ou regiões com dificuldade técnica para usar as tiras ou placas, como o umbigo.

A aplicação é bem simples e não é preciso usar nenhum tipo de bandagem por compressão. O recomendado é passar uma camada fina sobre a pele e reaplicar sempre que for necessário.

Evitar a exposição solar

exposição solar não é responsável pelo aumento no inchaço e no tamanho das cicatrizes. Entretanto, esse hábito estimula a produção de melanina no local que está mais sensível e deixa a pele propensa à pigmentação.

O resultado é uma área escurecida. Portanto, é importante evitar expor a cicatriz ao sol, especialmente entre 10 e 16 horas. Além disso, é fundamental usar protetor solar na região afetada.

Agora que você entendeu como evitar queloide, não se esqueça da importância das tiras e placas de silicone. Elas são reutilizáveis, hidratam a pele, ajudam no processo de renovação celular, melhoram a coloração e reduzem a aparência das marcas. Além disso, evitam a formação do problema e são ótimas auxiliares no tratamento!

As informações deste artigo foram úteis para você? Quer saber ainda mais sobre o tratamento dos queloides com adesivos? Então, não deixe de acessar nosso site!